Autor Tópico: O Céu e a Cristandade  (Lida 1036 vezes)

0 Membros e 1 Visitante estão a ver este tópico.

Missionário
*****
Mensagens: 132
Sexo: Masculino
Desenvolvimento
Offline Offline
    Ver Perfil Centro De Evangelização
O Céu e a Cristandade
« em: 25 de Janeiro de 2014, 07:21 »
Para os cristãos de uma maneira geral trata-se de um lugar paradisíaco onde nem dor nem morte existem, as flores não murcham jamais e os animais vivem em perfeita harmonia. Mas quando é perguntado onde esse lugar pode ser encontrado e o que o Eterno revelou sobre o mesmo, seus teólogos utilizando basicamente os escritos do Novo Testamento procuram fundamentar tais ensinos.

Breves relatos sobre esse tema nas Escrituras Hebraica, nas Escrituras Cristã e na Mitologia Grega

    O primeiro relato conhecido sobre o paraiso é mencionado na Escritura Hebraica no livro de Gênesis, onde ele é chamdo de "Jardim do Éden" e no qual se encontrava a "Árvore da Vida". Gn 2:8-9.
    Para os cristãos trata-se de uma cidade que descerá dos céus e pousará sobre a terra. Nessa cidade encontra-se o rio e a árvore da vida. Ap 21:2; 22:1-2.
    Na Mitologia Grega o paraíso era conhecido como "Campos Elísios" e fazia parte do reino de hades, o deus grego do mundo subterrâneo. É interessante que na descrição desse local é mencionado a existência do rio da imortalidade (rio Estige).                             

 

     Um detalhe importante para ser considerado é que as características do paraíso como tem sido ensinado pela cristandade de uma maneira geral, assemelha-se com a descrição do "Campos Elísios", paraíso da mitologia grega, e aos contos de fada encontrado na literatura infantil. Isso aconteceu pois os teólogos quando o cristianismo começou a se organizar, à semelhança de Filo, procuraram harmonizar o que é ensinado nas Escrituras Hebraica com a mitologia grega a fim de converter os cidadãos de cultura greco-romana.                                 

    Os teólogos procurando fazer do cristianismo uma ponte de ligação entre a cultura greco-romana e o povo que o Eterno colocou como Sua testemunha, Israel, deram origem a um movimento que mesclou ensinamentos judaicos com ensinamentos mitológicos vindo a se tornar uma instituição independente conhecida como "Igreja Cristã" e em nossos dias representada por múltiplas denominações independentes entre si.

     Como podemos observar no exposto acima os teólogos, no período em que o cristianismo começava a se organizar, à semelhança de Filo, filósofo judeu contemporâneo a Jesus e que residia na cidade de Alexandria, procuraram harmonizar suas doutrinas com a mitologia grega a fim de converter os cidadãos de cultura greco-romana.

 

O que a Astronomia revela sobre a localização do paraíso cristão, morada do Deus eterno?

    Através da astronomia aprendemos que o Universo na realidade é um lugar inóspito onde a vida como a conhecemos é inviável devido a característica de seu ambiente tais como múltiplas radiações, núvens de gás, poeira, baixa temperatura, etc...

Mas o que vema ser o Céu, habitação do Deus eterno

    Sabemos que da face do Deus eterno emana uma energia de tal intensidade que a vida como a conhecemos não suportando tal radiação se extinguiria (Ex 33:18-23), e até mesmo os seres celestiais caso não se purifiquem devidamente para comparecer ante Sua presença também pereceriam (Lv 8:33-36; 10:10-11).
    Pela descrição encontrada no livro de Êxodo a habitação do Deus eterno (Ex 25:8-9) trata-se de um lugar móvel, com fronteiras bem delimitadas (Ex 40:17-33; Nm 2:1-2), podendo se deslocar por todo Seu vasto domínio Nm 1:51-52.

     Portanto o Céu como podemos entender pelas Escrituras (VT) e o conhecimento moderno na área da Astronomia, assemelha-se, na linguagem científica, a um planeta órfão porém auto suficiente devido a presença do Eterno, deslocando-se por todo Seu vasto domínio (Universo), onde cada representante das regiões celeste por Ele designado comparecem ante Sua presença para prestar contas da administração a eles concedida. Jó 1:6-7; 2:1-2.

 
Festa dos Tabernáculos

    Na verdade as Escrituras Hebraica (VT) através da "Festa dos Tabernáculoas" apresenta  uma recompensa para todo aquele que perseverar em servir ao Deus eterno pois a mesma apontando para a última colheita no ciclo das festas fixas instituídas pelo Eterno sendo levada ao Templo indica que no final do juízo todos os salvos serão levados à presença do Deus eterno no local de Sua habitação.

Shalom!